Análise SWOT na odontologia parte 2

Análise SWOT na odontologia parte 2

Análise SWOT para fraquezas odontológicas.

Dando continuidade ao nosso último assunto do blog que falava sobre a análise SWOT, vamos ao próximo tema da série em que discutiremos Análise SWOT para Pontos Fracos da Odontologia.

SWOT – FOFA

Forças
Oportunidades
Fraquezas
Ameaças

Escolhemos dar continuidade nos pontos fracos para lhe dar um certo “gás”, assim fazendo com que você e sua equipe se sintam animados e pensem nas melhorias de forma ágil e imediata, sem a necessidade de ajuda externa. Isso é possível agora mesmo! A fraqueza que vamos apresentar na ilustração é bem simples, mas você e sua equipe devem debater em conjunto e identificar os pontos fracos específicos de seu consultório.

Análise SWOT para Odontologia – Fraquezas

Novo paciente ou primeira visita?
Cada visita é uma primeira visita. A maioria das clínicas falham um pouco em uma primeira visita. Referimo-nos aqui à primeira visita de uma pessoa que nunca esteve “na Clínica” antes, ou esteve ausente por mais de um ano. Por que não se referir a eles como um “novo paciente”?
A semântica é importante durante a comunicação normal em todo o consultório. Em nossa opinião, usar o identificador de Novo Paciente, entre os membros da equipe e na frente dos pacientes, pode sugerir que o relacionamento é uma mercadoria e parece que estamos discutindo-os em terceira pessoa. Impessoal. A primeira visita sugere um evento envolvendo uma pessoa. Olhe a comunicação a seguir:

Novo paciente
“Oi doutor. Eu gostaria que você conhecesse nosso novo paciente, Antônio Silva.”
“Oi Antônio Silva. Prazer em conhecê-lo. Antônio, como você decidiu se tornar um novo paciente aqui?
Primeira visita
“Oi doutor. Eu gostaria que você conhecesse Antônio Silva. Hoje é sua primeira visita ao nosso consultório.”
“Bem-vindo, Antônio. Prazer em conhecê-lo. Existe algum problema específico que o levou a agendar sua primeira visita conosco?”
“Eu tenho um pouco de dor de dente.”
“Bem, eu entendo. Vamos dar uma olhada e focar no que está causando seu desconforto. Antônio, como foi que você nos encontrou?”
Como você pode ver, agora há um foco em seu evento! A próxima chave é que cada visita seja como a primeira, da maneira como é recebida, transferida da recepção para o atendimento odontológico e vice-versa. Cada passo é uma transferência de confiança para o próximo membro da equipe. É importante que uma comunicação clara e direcionada ocorra enquanto um membro da equipe transfere Antônio para o próximo membro. No exemplo a seguir, a assistente está completando suas anotações clínicas e todas as entradas de informações necessárias para a equipe administrativa. É importante que ela tenha semântica para controlar o comportamento do paciente e condicionar o paciente ao seu padrão de cuidado e aos protocolos necessários.

O paciente impaciente

Seu assistente está completando os gráficos clínicos, o dentista saiu da sala e deu a entender que ele está “pronto”. Agora seu paciente está se levantando da cadeira, andando de um lado para o outro, possivelmente verificando novamente o relógio e fazendo declarações sobre a necessidade de ir em frente.
Quando o odontólogo tiver terminado e tiver concluído suas declarações ao paciente, o assistente deve parar o que está fazendo, fazer contato visual com o paciente, tocar no braço da cadeira ou no ombro do paciente e dizer:
“Antônio, eu vou pedir para você ficar sentado por um momento enquanto eu termino de examinar seu tratamento. Amanda do financeiro está esperando por isso para que ela possa se preparar para a última parte de sua visita.”
Como assistente, você está preparando seu paciente para a próxima transferência, informando o que esperar e condicionando-o para futuro atendimento. Os procedimentos de chacagem de planos de saúde, discussões financeiras e agendamento também fazem parte da ação demonstrada. Condicione-os a esperar desta vez com sua equipe administrativa. Ao transferi-los para a equipe administrativa, finalize seu tempo com eles de maneira intencional.
“Antônio, se eu respondi a todas as suas perguntas, deixarei você com Amanda para terminar sua consulta. Você tem outras dúvidas?
“Não, acho que estou pronto.”
“Ótimo. nos vemos na próxima vez, e obrigado por nos deixar cuidar de você hoje.”
Ele, ela, eles ou Antônio?
Não é incomum ouvir um membro da equipe dizer:
“Ele quer que seus dentes fiquem brancos”. ou “Ela quer marcar uma consulta para o marido”.
É fácil formar maus hábitos e o uso excessivo de pronomes pessoais pode ser um desses hábitos. A pessoa a quem você está se referindo tem um nome como seu marido. Certifique-se de saber antes de transferir para o próximo membro da equipe. Por outro lado, esses pronomes têm seu lugar. Tenho certeza de que todos nós fomos submetidos à pessoa de vendas bem-intencionada que usou nosso nome irritantemente dez vezes em uma sentença de onze palavras! Parte do “notável” cuidado é personalizar todas as comunicações com um nome. Isso vale para toda a equipe. Meu ponto chave é que muito ele, ela ou eles, é preguiçoso e impessoal. Melhor seria se a transferência soar como o seguinte:
“Amanda, Maria gostaria de agendar e marcar um horário para o marido dela, Antônio.”

Nosso objetivo é oferecer serviços e comunicações “notáveis” desde o primeiro clique até a primeira ligação telefônica e a cada transferência até as primeiras e subsequentes visitas. Queremos que as pessoas saiam do seu consultório e se sintam animadas com a oportunidade de “comentar” a alguém sobre sua experiência. Quão notável você é?
Fique atento para mais atualizações sobre a Análise SWOT nos próximos textos do Blog.

Análise SWOT

DENTAL SIGO
SUA CLÍNICA NA NUVEM.

EXPERIMENTE GRÁTIS
2018-05-04T14:17:08+00:00

Deixe um comentário

WhatsApp chat